Ecstasy: Quais são os Efeitos

O Ecstasy, também conhecido como MDMA, é uma substância conhecida por seus efeitos eufóricos. É uma droga sintética e seu ingrediente ativo é uma substância chamada metilenodioximetafetamina, que afeta os neurotransmissores no cérebro.

A metilenodioximetafetamina foi originalmente desenvolvida para suprimir o apetite e manter o indivíduo desperto e alerta.

Como droga, ela tem um lado extremamente perigoso que pode levar à morte.

O que é Ecstasy?

O Ecstasy é uma droga recreativa cujo ingrediente ativo é metilenodioximetafetamina (MDMA). Esta substância é responsável por aumentar o estado de euforia do usuário e também a sensação de prazer. Quando ingeridos, os efeitos começam dentro de 30 a 45 minutos e podem durar de 4 a 8 horas.

O Ecstasy pode parecer inofensivo porque inicialmente evoca apenas sentimentos positivos, mas é extremamente perigoso e pode causar desidratação e aumento da temperatura corporal, duas condições que podem levar a acidentes vasculares cerebrais.

O que é essa Bala?

Nas festas, os jovens frequentemente usam gírias para identificar a droga que pretendem usar ou vender.

A gíria “Bala” se refere à droga Ecstasy (MDMA).

Outras palavras da gíria incluem: pílula do amor, helena, cristal, ice, entre outros.

São drogas feitas em laboratórios clandestinos e baseadas em anfetaminas.

Os efeitos são intensa euforia, aumento da autoestima, empatia, sensação de bem-estar e alta energia, aumento da percepção de sons e cores (como se as cores tivessem sons e os sons tivessem cores) e hipersensibilidade ao toque, o que dá a sensação de que essas drogas são afrodisíacas.

Quais são os principais efeitos do Ecstasy?

O Ecstasy (MDMA) afeta o controle do cérebro de dois importantes hormônios que atuam como neurotransmissores: a dopamina, que regula a dor, e a serotonina, que está relacionada aos sentimentos de amor.

A combinação destas substâncias causa muita excitação, mas deixa a pessoa mais sociável e feliz.

Os efeitos da droga são muito semelhantes aos das substâncias consideradas estimulantes naturais do sistema nervoso central. Entretanto, são muito mais pronunciadas e de curta duração.

Ao tomar ecstasy, a pessoa experimenta uma euforia surreal, uma mistura de excitação que pode causar confusão mental e alterar as percepções da realidade.

Como qualquer droga, os efeitos do ecstasy podem ter diferentes estímulos e produzir respostas específicas, dependendo do estado emocional do indivíduo. Alguns podem notar mudanças no ritmo corporal, experimentar efeitos perturbadores e alucinações.

Por outro lado, algumas pessoas enfatizam a facilitação da comunicação e a melhoria da interação face a face como o efeito mais notável. A droga estimula a expressão física, melhora a percepção musical e acentua a visão das cores como se elas fossem cada vez mais vivas e brilhantes.

Que problemas o Ecstasy pode causar?

Os danos à saúde causados pela dependência química são um dos principais problemas de saúde pública.

O Ecstasy ou MDMA é uma droga sintética que causa dependência química levando à dependência física, emocional e psicológica.

Alguns danos do uso do ecstasy são sentidos imediatamente, enquanto outros são de longo prazo.

Destacamos os aspectos físicos e mentais mais importantes do uso do ecstasy.

Complicações Físicas

Os efeitos colaterais físicos do uso de ecstasy incluem aumento da rigidez muscular e complicações da atividade motora nas extremidades superiores e inferiores.

Longas horas de dança ou intenso esforço físico levam a um aumento da temperatura corporal. Sob a ação do medicamento, a pessoa afetada não percebe estas mudanças e está exposta a grandes riscos: a doença pode levar a desmaios, ataques cardíacos e morte.

Dor nas costas, náuseas e vômitos, dores de cabeça, diminuição do apetite e visão embaçada também são comuns. A excitação também causa insônia, uma forte oscilação dos batimentos cardíacos e distúrbios respiratórios.

O uso desta droga também afeta a função hepática – ela amacia o fígado devido ao nível de toxicidade – que pode progredir para uma hepatite fulminante. A gravidade das lesões requer um transplante de fígado e pode levar à morte.

Uma das complicações consideradas até raras é a possibilidade de intoxicação da água. O aumento da temperatura corporal causa uma sensação de boca seca e requer uma grande ingestão de água.

Entretanto, em excesso, a água pode ser retida no corpo à medida que o êxtase aumenta os efeitos dos hormônios anti-diuréticos e impede que os fluidos sejam eliminados do corpo. Em outras palavras, a pessoa engole muita água, mas não consegue urinar.

Mesmo a ingestão descontrolada de água pode ser fatal: o aumento da quantidade de água causa pressão arterial alta, sobrecarrega o coração, força os pulmões a trabalhar e pode levar a um ataque cardíaco.

Distúrbios Mentais

Nos dias seguintes ao uso do MDMA, uma pessoa pode passar por uma crise depressiva, ter dificuldade de memória e concentração e exibir sentimentos persistentes de exaustão mental e física. A ansiedade pode evoluir para ataques de pânico e breves episódios de psicose.

A longo prazo, o uso de ecstasy causa sérios danos à saúde: a liberação forçada dos hormônios serotonina e dopamina causa danos irreversíveis às células nervosas.

O dano neuronal resulta em perturbações mentais e comportamentais e limitações nas funções visuais e de linguagem. Estes sintomas são considerados como o gatilho para uma grande depressão. Ataques de pânico persistentes podem levar à morte súbita devido ao colapso cardiorrespiratório.

Acredita-se, portanto, que os problemas associados ao uso do ecstasy sejam muito mais amplos. E seu impacto é preocupante tanto a nível individual quanto coletivo. É necessário, portanto, encontrar alternativas que possam reduzir as conseqüências deste problema.

O Ecstasy é Viciante?

Muitas pessoas pensam assim. Mas mesmo que o usuário não fique viciado, existem perigos reais além do vício, por exemplo:

  • Em 1995, menos de 10% das pílulas de ecstasy no mercado eram MDMA puro. Hoje em dia, os usuários de ecstasy muitas vezes tomam uma variedade de drogas e muitas vezes também de intoxicantes.
  • A pessoa deve aumentar continuamente a quantidade da droga para sentir os mesmos efeitos. Os usuários relatam que os efeitos do ecstasy são muito menores após a primeira dose. E à medida que a pessoa toma mais da droga, os efeitos negativos também aumentam. Quando o efeito desejado da droga se desgasta, a pessoa frequentemente se volta para drogas mais perigosas logo em seguida.
  • As vezes os usuários sentem a necessidade de usar outras drogas, como heroína ou cocaína, para lidar com a dor física e emocional que ocorre quando os efeitos eufóricos do ecstasy se desgastam. Noventa e dois por cento dos usuários de ecstasy também usam outras drogas mais duras.
  • A concepção errônea de que apenas o êxtase é confortável leva a um desejo de levá-lo para além das raves e festas musicais eletrônicas. Como com outros estimulantes, o ecstasy continua a ser usado mesmo quando ocorrem efeitos desagradáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.