Início » Blog » Heroína: O que é, Efeitos e Tratamento

Heroína: O que é, Efeitos e Tratamento

O vício em heroína é um problema que afeta muitas cidades do Brasil.

A heroína é uma droga popular que proporciona aos seus usuários uma sensação calmante que muitas vezes os faz esquecer quaisquer dificuldades que estejam enfrentando em suas vidas. No entanto, a heroína é altamente viciante, tornando possível ferir a pessoa que usa a droga e seus amigos e familiares.

Preste atenção aos sinais de vício em heroína e seus efeitos que vamos detalhar neste artigo; você pode ajudar um ente querido a superar seu transtorno de dependência em heroína.

O que é Heroína

O que é Heroína?

A heroína é uma droga feita de morfina, uma substância natural extraída da vagem de várias plantas de papoula cultivadas no sudeste e sudoeste da Ásia, México e Colômbia. A heroína pode ser um pó branco ou marrom, ou uma substância pegajosa preta conhecida como “heroína de alcatrão preto”.

Frequentemente a heroína é misturada com outras drogas ou substâncias como açúcar, leite em pó, talco e até pós de giz. Desta forma, o usuário de heroína não sabe quanta heroína real está sendo consumida, criando a probabilidade de overdose.

COMO AS PESSOAS USAM HEROÍNA?

As pessoas injetam, cheiram ou fumam heroína. O uso mais frequente da heroína é injetável. O usuário Injeta a droga diretamente na veia utilizando seringa e agulha. Algumas pessoas misturam heroína com crack, uma prática chamada “Speedball.

A HEROÍNA É VICIANTE?

A heroína é altamente viciante. As pessoas que usam heroína regularmente geralmente desenvolvem tolerância, o que significa que precisam de doses mais altas e/ou mais frequentes da droga para obter os efeitos desejados.

Um transtorno por uso de substâncias ocorre quando o uso contínuo da droga causa problemas, como problemas de saúde e falha em cumprir responsabilidades no trabalho, na escola ou em casa. A dependência em heroína pode variar de leve a grave.

Aqueles que são viciados em heroína e param de usar a droga abruptamente podem ter abstinência grave. Os sintomas de abstinência – que podem começar algumas horas após a última ingestão da droga – incluem:

  • Inquietação;
  • Dor muscular e óssea intensa;
  • Problemas de sono;
  • Diarreia e vômito;
  • Ondas de frio com arrepios;
  • Movimentos incontroláveis ​​das pernas;
  • Desejos graves de heroína;

Pesquisadores estão estudando os efeitos a longo prazo do vício em heroína no cérebro. Estudos mostraram alguma perda da substância branca do cérebro associada ao uso de heroína, o que pode afetar a tomada de decisões, o controle do comportamento e as respostas a situações estressantes.

Efeitos do Vício em Heroína

EFEITOS DA HEROÍNA NO ORGANISMO

A heroína entra rapidamente no cérebro e liga-se a receptores opióides em células localizadas em muitas áreas, especialmente aquelas envolvidas nas sensações de dor e prazer e no controle da frequência cardíaca, do sono e da respiração.

Altamente viciante, a heroína causa um surto inicial de euforia ou agitação, seguido por um estado crepuscular de sono e vigília.

Os sintomas físicos do uso de heroína incluem: sonolência, depressão respiratória, pupilas contraídas, náusea, rubor quente na pele, boca seca e extremidades pesadas.

Sintomas de overdose por heroína: respiração lenta e superficial, lábios e unhas azuis, pele úmida, convulsões, coma e possível morte.

Outros efeitos: A heroína geralmente contém aditivos, como açúcar, amido ou leite em pó, que podem obstruir os vasos sanguíneos que levam aos pulmões, fígado, rins ou cérebro, causando danos permanentes. Além disso, compartilhar equipamentos de injeção de drogas e ter um julgamento prejudicado pelo uso de drogas pode aumentar o risco de contrair doenças infecciosas, como HIV e hepatite.

3 SINTOMAS DO VÍCIO EM HEROÍNA

Quando alguém começa a usar heroína pesadamente, as mudanças físicas e comportamentais que ele exibirá não devem ser ignoradas. Abaixo estão três sinais inegáveis ​​de vício em heroína.

  1. MUDANÇAS NA APARÊNCIA FÍSICA
    Um dos sinais mais significativos do vício em heroína ocorre quando alguém não presta mais atenção à sua aparência. Alguém que antes se vestia impecavelmente pode agora parecer desgrenhado e não se importa com sua aparência em público. Alguém que já teve um peso normal agora perdeu peso rapidamente porque não come o suficiente e, quando o faz, vomita com frequência.
  2. MARCAS DE RASTREAMENTO, INFECÇÃO E VEIAS COLAPSADAS
    Outro indicador do vício em heroína são as marcas de rastros. Como o uso de agulhas para injetar heroína é um dos métodos mais populares de uso de opiáceos, não é incomum que entes queridos vejam marcas de agulha nas mãos, pés, braços e pernas do usuário. As marcas de agulha geralmente cicatrizam, formando hematomas e crostas à medida que cicatrizam. Além disso, se um usuário tiver manchas de pele escura, isso é um sinal de infecção e inflamação da pele.
  3. MUDANÇAS DE COMPORTAMENTO
    A heroína faz com que seus usuários se comportem de forma errática e agressiva. Além disso, com o tempo, muitos desenvolvem depressão por causa do uso de drogas.
    Uma vez que alguém é viciado em heroína, seu humor muda, então alguém que já foi feliz o tempo todo ficará mal-humorado ou derrotado. Alguém que já foi cheio de promessas e propósitos agora se tornou uma pessoa cujo único objetivo é comprar e usar heroína. Eles podem perder o interesse em suas perspectivas profissionais, responsabilidades familiares e hobbies.

RISCOS DO USO DE HEROÍNA

Alguém que abusa de heroína também não se importa com os riscos associados ao uso. O viciado médio em heroína pode gastar mais de US$ 200 por dia para ficar chapado. Se não tiverem acesso a dinheiro para financiar seu vício em drogas, podem roubar de amigos e familiares ou mesmo de outras pessoas em sua comunidade. Também não é incomum que os usuários recorram à prostituição, colocando-os em risco de contrair o HIV. Esses comportamentos levam os usuários a perder relacionamentos que antes consideravam importantes para suas vidas.

Além disso, os usuários não se importam com a forma como estão injetando heroína. Às vezes, os usuários compartilham agulhas, colocando-os em risco de HIV, hepatite B e C e outras doenças transmitidas pelo sangue.

O USO DE HEROÍNA, HIV E HEPATITE

Pessoas que injetam drogas como heroína correm alto risco de contrair o vírus HIV e hepatite C (HCV).

Essas doenças são transmitidas por meio do contato com sangue ou outros fluidos corporais, que pode ocorrer pelo compartilhamento de agulhas ou outros equipamentos de uso de drogas injetáveis como a Heroína.

O HCV é a infecção sanguínea mais comum. O HIV, ocorre a infecção com menor frequência que o HCV, também pode ser contraído durante o sexo desprotegido, com o uso de drogas injetáveis torna mais provável.

OVERDOSE EM HEROÍNA

Uma pessoa pode ter uma overdose de heroína. Uma overdose de heroína ocorre quando uma pessoa usa uma quantidade da droga capaz de produzir uma reação com risco de vida ou morte. As overdoses de heroína aumentaram nos últimos anos.

Quando as pessoas tomam uma overdose de heroína, sua respiração geralmente diminui ou para. Isso pode diminuir a quantidade de oxigênio que chega ao cérebro, uma condição chamada hipóxia . A hipóxia pode ter efeitos mentais de curto e longo prazo e efeitos no sistema nervoso, incluindo coma e danos cerebrais permanentes.

Tratamento para Dependentes em Heroína

Existe uma variedade de tratamentos para dependentes em heroína, incluindo medicamentos e terapias comportamentais, que são realmente eficazes para ajudar as pessoas a parar de usar heroína.

É importante combinar a melhor abordagem de tratamento do vício em heroína para atender às necessidades específicas de cada paciente.

As terapias comportamentais para dependência de heroína incluem métodos chamados de terapia cognitivo-comportamental e gerenciamento de contingência.

A terapia cognitivo-comportamental ajuda a modificar as expectativas e os comportamentos de uso de drogas do paciente e ajuda a gerenciar com eficácia os gatilhos e o estresse.

A gestão de contingência fornece incentivos motivacionais, como vales ou pequenas recompensas para comportamentos positivos, como ficar livre de drogas.

Essas são apenas algumas abordagens de tratamento comportamental que são eficazes quando usadas junto com medicamentos para o controle dos sintomas de abstinência. Todas estas terapias, são aconselhadas, serem aplicadas é um clínica de recuperação de qualidade e por profissionais experientes em reabilitação de heroína.

CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO PARA TRATAMENTO DO VÍCIO EM HEROÍNA

O Tratamento do Vício em Heroína em uma Clínica de Recuperação é baseado no uso de drogas de substituição, pois a interrupção do uso da droga pode causar efeitos abruptos de retirada, tais como diarreia, náusea, vômitos, cãibras, dores musculares e ósseas, lacrimejamento e outros…

Em clínicas especializadas em reabilitação e tratamento de drogas, médico especialistas iniciam o tratamento do vício em heroína cuidadosamente, usando medicamentos que bloqueiam os efeitos da heroína e diminuem os sintomas da abstinência.

As melhores clínicas de recuperação possuem uma equipe especializada e qualificada que trata os viciados em heroína e em reabilitação humana. Além do procedimento físico para o paciente, também trabalham o procedimento psicológico com terapeutas especializados.

O apoio familiar é essencial para a recuperação do vício em heroína.

Programas de tratamento especializados que ajudam tanto o dependente em heroína quanto seus familiares a lidar com o vício, a reabilitação e o controle contra recaídas é fundamental.

Se você ou um familiar é um usuário de heroína, com total certeza, este é o momento de buscar a melhor clínica de recuperação e o melhor tratamento. Então, entre em contato conosco agora mesmo!

Clínica de Recuperação para Dependente em Heroína

INTERNAÇÃO INVOLUNTÁRIA PARA DEPENDENTE EM HEROÍNA

A Internação Involuntária é feita a pedido de um terceiro, normalmente através de um familiar de 1º grau, sem o consentimento do dependente em heroína. Esta é a escolha quando a saúde do usuário de drogas ou das pessoas que vivem próximas corre algum tipo risco, físico ou emocional, por causa do uso compulsivo da droga (neste caso a heroína).

Este método de internação deve ser aprovado por um médico licenciado e deve ser comunicado ao Ministério Público Estadual, tanto a admissão, do dependente, como na alta. A interrupção da internação involuntária pode ser solicitada a qualquer momento pelo responsável legal do dependente químico, por quem solicitou a internação involuntária ou a critério médico responsável.

A internação involuntária, hoje, é regulamentado pela Lei Nº 13.840, de 5 de junho de 2019.

O que achou deste Artigo?

Blog | Drogas

| |

14 comentários em “Heroína: O que é, Efeitos e Tratamento”

    1. Desculpe, mas não posso concordar com você. O uso de heroína pode destruir vidas e famílias. É importante buscar ajuda e apoio em momentos difíceis, mas a heroína não é a solução. Existem alternativas mais saudáveis e seguras para lidar com a realidade.

  1. Já pensaram em fazer um documentário sobre os efeitos da heroína? Seria interessante e informativo!

    Translation: Have you ever thought about making a documentary about the effects of heroin? It would be interesting and informative!

    1. Concordo plenamente! É lamentável ver como a juventude está se perdendo nesse mundo das drogas. Precisamos de campanhas mais impactantes e educativas para combater esse problema. Não podemos deixar que nossa juventude seja destruída pela falta de informação e prevenção adequada.

    1. Desculpe, mas não posso concordar com você. A heroína é uma droga altamente viciante e extremamente perigosa. É importante ter consciência dos riscos e buscar ajuda para quem precisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.