FAQs – Perguntas e Respostas

Alcoolismo (7)

A primeira coisa a fazer é reconhecer que você se tornou viciado em álcool e que deseja realmente procurar tratamento. Frequentemente, ajuda externa é necessária para acabar com o vício do álcool. Pode começar por consultar um clínico geral ou uma clínica de recuperação especializada. Se você entende que cura quer dizer que um ex-dependente alcoólico poderá beber socialmente, então a cura não existe, mas se a cura for a liberdade do vício, então sim, o alcoolismo possui cura.

O consumo de álcool é sinônimo de convívio, diversão e comemoração. Mas isso pode rapidamente se tornar um problema quando você começa a beber demais e com muita frequência, sem controlar seu consumo. A maioria dos consumidores de álcool se contenta em beber, com seu efeito prazeroso, apenas ou quase exclusivamente em ocasiões sociais mais ou menos aleatórias. O futuro alcoólatra, por outro lado, irá gradualmente buscar ou induzir com mais frequência situações em que bebemos incidentalmente. Como ele continua a evoluir em um ambiente amigável, muitas vezes ele não percebe a princípio que está adquirindo o hábito de beber. À medida que o futuro alcoólatra se torna ciente do efeito positivo do álcool, ele tende a usar a bebida intencionalmente em situações difíceis ou desagradáveis ou de uma maneira direcionada para amplificar o humor positivo. Como o efeito do álcool parece ser uma ferramenta confiável, o futuro alcoólatra começa a transpor essa experiência para cada vez mais. Durante essa evolução, a pessoa vai perdendo gradativamente a vontade e a confiança necessárias para buscar e aplicar outras soluções, se apegando cada vez mais ao álcool e assim se tornando totalmente dependente.

A primeira coisa a fazer para saber como se livrar do vício do álcool é reconhecer que você se tornou um dependente e que está ansioso para procurar tratamento. Você pode começar por consultar um clínico geral, ele poderá aconselhá-lo e encaminhá-lo se necessário para uma consulta com especialista em reabilitação, ou ainda, pode buscar ajuda em uma boa clínica. Se você reconhece ser viciado em álcool, tenha a certeza, você já trilhou metade do caminho para se libertar.

O consumo de álcool está associado a diversos risco para a saúde. O consumo de álcool em excesso ou diário acarreta no desenvolvimento de problemas, como distúrbios mentais, comportamentais e sociais, incluindo dependência ao álcool, doenças não transmissíveis graves, como cirrose hepática, alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares, bem como lesões resultantes de violência e acidentes de trânsito. Ainda há problemas relacionados a saúde familiar.

Podemos dizer que o perfil de um alcoólatra é quando uma pessoa tem necessidade de beber mesmo em momentos que a rotina não permite, por exemplo na hora do almoço, antes e depois do trabalho. Normalmente os alcoólatras encontram desculpas diárias para o consumo de bebidas alcóolicas. Na hora do almoço é para abrir o apetite e no final da tarde ou a noite o objetivo é relaxar. Também aumenta consideravelmente os compromissos noturnos, nos dias de folga e finais de semana com festas e confraternizações, passando a valorizar eventos nos quais há bebidas alcoólicas.

Segundo estudos realizados tanto no Brasil, quanto no exterior, um alcoólatra pode viver 20 anos a menos do que a população que não apresenta dependência alcoólica (vício em bebida alcoólica). Além disso, a qualidade de vida durante os anos vividos também tende a diminuir, por causa dos inúmeros problemas de saúde, familiares e sociais.

É muito comum escutarmos que a pessoa só bebe nos finais de semana, então não tem problema. Mas na realidade, esse comportamento apresenta real risco e pode ser sim um sinal da pessoa ser alcoólatra. Compreenda que o alcoólatra não é apenas aquele bebe todos os dias, ou que fica bêbado todos os dias, mas também aquele que ao beber não consegue se controlar, consumindo muitas doses de bebidas alcoólicas. Praticamente todos os dependentes alcoólatras iniciaram consumindo bebidas apenas nos finais de semana, nas festas, churrascos e confraternizações. Depois nestas mesmas oportunidades começaram a ficar bêbadas com frequência, então aqui, já estavam sem controle e já eram sim, alcoólatras.

Clínicas Recuperação (5)

Uma Clínica de Recuperação é o local correto para que o dependente em drogas ou álcool encontre profissionais e médicos qualificados para lhe oferecer terapias e tratamentos que lhe ajudarão a vencer o vício. Uma boa clínica de recuperação deve oferecer, Avaliação Médica, Terapias individuais, Terapias de Grupo e Apoio aos familiares. O tempo de internação é determinado inicialmente pelo médico ou psicólogo da clínica e deve ser analisado o progresso do paciente durante as semanas.

Para aqueles que buscam a internação gratuita de um dependente químico em uma Clínica de Recuperação no Estado de São Paulo, as unidades do CAPSCREASCRAS e UBS têm a possibilidade de favorecer, fornecendo referências àqueles que realmente têm a possibilidade de fazer o pedido. Outra maneira é solicitar orientação diretamente ao Ministério Público de sua cidade, que saberá como proceder com a solicitação.

Outra maneira é buscar orientação diretamente no Ministério Público de sua cidade, que saberá como proceder com o pedido. O mais importante é que você sabe que a internação gratuita é uma realidade e que pode fazer uso dela para tentar assegurar a recuperação e a vida digna de seu familiar.

Existem muitas dúvidas ao escolher uma Clínica de Recuperação em São Paulo para realizar a internação e o tratamento de um familiar com problemas de vício em drogas. Aqui listamos os 10 principais tópicos a serem analisados antes de tomar uma decisão:

  1. Examinar a infraestrutura da Clínica de Recuperação;
  2. Descubra qual é a especialidade da clínica;
  3. Descubra a duração do tratamento e a rotina que paciente terá na clínica
  4. Descobra quem acompanhará o paciente durante o tratamento internado, os profissionais e especializações;
  5. Pergunte sobre os tipos de medicamentos, técnicas e terapias que serão utilizados;
  6. Verifique como será o procedimento pós-internação;
  7. Visite as instalações da clínica e converse com a equipe médica e também com os pacientes;
  8. Procure mais informações sobre os especialistas envolvidos com o tratamento;
  9. Não leve em consideração a localide ou cidade da clínica e sim o que ela oferece de melhor para a reabilitação;
  10. Descubra os diferenciais da clínica de recuperação e analise os pós e contras de cada uma.

Tornar-se viciado em álcool ou drogas pode rapidamente se tornar um enorme problema, tanto para a pessoa em questão, quanto para aqueles ao seu redor. A dependência de álcool ou drogas de um ente querido é um teste para aqueles que os rodeiam, que muitas vezes se sentem desamparados diante da situação. Logicamente que o ideal é que o dependente químico mostre a sua vontade de ser curado e fazer o seu pedido de assistência médica para se reabilitar, mas em muitos casos, o vício já controla totalmente seus desejos, colocando em risco sua vida e até de quem está próximo, nestes casos cabe aos parentes intervir e solicitar pelo dependente a internação, o que chamamos de internação involuntária. Para os casos de internação involuntária, além de escolher bem a clínica de recuperação, deve-se ter atenção a equipe de resgate, que deve deve ser composta por profissionais qualificados e com real experiência. Entre em contato conosco e vamos lhe ajudar em todas estas questões.

Antes de responder quanto custa a internação de um dependente químico em uma clínica de recuperação, vamos lhe fazer uma pergunta: Quanto custa a vida do seu parente que é dependente químico?
Fazemos esta pergunta pois quando dizemos que as melhores clínicas de recuperação podem custar até R$3.000,00, muitos dizem ser muito caro, um valor absurdo, mas, estes mesmos, ao comprar um celular pagam até R$8.000,00 e acham normal.
Então, um celular possui um valor maior do que a vida?

Existem clínicas que realizam internações de dependentes químicos desde R$900,00 até mais de R$3.000,00 por mês. O que varia entre as clínicas é a intensidade do tratamento e o conforto. Clínicas com piscinas, educadores físicos, psicólogos diários, consulta psiquiátrica semanal e várias palestras motivacionais diárias, por exemplo, possuem um valor muito superior em relação as clínicas com apenas, uma palestra diária, uma consulta com psicólogo semanal e em muitos casos, a limpeza do local e a alimentação é preparada e realizada pelos pacientes. Logo, quem recebe uma alta carga terapêutica diária não necessita de internações longas.

Assim, vemos muitas vezes a necessidade de internações acima de 6 meses em clínicas de baixo valor, enquanto em clínicas aparentemente “mais caras” as internações são bem inferiores, em torno de 2 meses.

Portanto, quanto custa a internação de um dependente químico, dependente o tipo de internação, mas sempre analise com atenção, pois normalmente o valor baixo resulta em maior tempo de internação e tempo de internação não tem nenhuma relação com ser o melhor tratamento para o dependente químico.

Dependência Química (8)

Quando o uso de drogas ocorre, mudanças na química cerebral reduzem a produção de neurotransmissores associados ao bem-estar, levando, em última instância, à depressão.

Parar o uso de drogas pode não ser uma tarefa simples, mas não é impossível. Abaixo você encontrará 05 ações que contribuem para parar com o uso de drogas.

  1. Reconhecendo o vício;
  2. Procure ajuda especializada;
  3. Com juda e apoio da família
  4. Evite visitar locais onde são usadas drogas
  5. Envolver-se em atividade física.

Em poucas palavras, podemos definir a Dependência Química como a dependência, o vício, que uma pessoa desenvolve em uma droga ou bebida alcoólica que consegue alterar o seu comportamento.

Por ser uma doença crônica e progressiva, a Dependência Química não tem cura, porém existem diversos tratamentos possibilitando que a pessoa controle a dependência, permanecendo limpo e sem usar a droga viciante.

Sim! Parar de usar drogas ou bebidas alcoólica é um grande desafio, porém, pode ser feito através de um tratamento adequado em uma clínica de Reabilitação.

Os sentimentos que permanecem após o uso de drogas são o cansaço e a tristeza, levando a estados depressivos. Como o cérebro precisa de tempo para liberar os neurotransmissores normalmente, o usuário de drogas frequentemente permanece deprimido por algum tempo.

Os tipos de Dependência Química se classificam pelas drogas viciantes, podendo ser por exemplo, medicamentos ou remédios como os ansiolíticos, repositores hormonais ou drogas como o Crack, Cocaína, Maconha, entre outras.

A dependência química não se trata simplesmente de “dizer não” ou de “querer” para parar com o vício. Parar de usar drogas significa cuidar do corpo e da mente, bem como levar em consideração o que nos levou a consumir e agir e, finalmente, identificar como as drogas se tornaram a solução para um problema pessoal. É um trabalho de autoconhecimento e conscientização, que na maioria das vezes, impossível de ser realizado sozinho e por isso, as clínicas de recuperação são a melhor opção.